segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Dicas de poupança

A vida tem-me ensinado muito. E estes tempos de crise, tem sido duros.
Com 3 filhos em crescimento é complicada a economia na alimentação e no vestuário.
A ginástica no orçamento é uma constante.
Adoptei mesmo antes da crise, a compra de produtos das marcas brancas, quase todos os supermercados têm. A diferença em alguns produtos, sou-vos sincera, não é nenhuma.
Eu sei que por vezes estamos tão habituados a comprar a marca xpto e nem olhamos para as alternativas - contudo digo-vos, VALE A PENA e mais temos mesmo que encontrar alternativas.
As promoções são também um óptimo investimento. Há que ter cuidado, pois em muitos casos a troca não é possível.
Em produtos alimentares tento sempre aproveitar, quando o azeite, a farinha, o arroz, massas, leite, etc (produtos que podem ser conservados por um período maior de tempo) estão em promoção e faço a minha própria reserva - por vezes para algumns meses.
Garanto-vos que resulta!
No vestuário e porque as crianças estão em crescimento, há sempre algo para comprar - é complicado, é uma ginástica diária.
Muitas marcas e posso enumerar a do Continente - Zippy - faz excelentes promoções e para quem possui o cartão continente (que é gratuito), é vantajoso porque acumula os descontos no cartão e podemos descontar quando consumimos.
Há que estar sempre atenta a promoções que diáriamente nos invandem, temos o caso do Lidl, entra-nos semanalmente pela porta dentro. E por vezes tem artigos a preços óptimos.
Temos que distinguir o fútil do necessário. Comprar por comprar é um tremendo disparate, mesmo que custe 50 cêntimos.
Pegue nesses 50 cêntimos e ponha no mealheiro, sugestão dada no blog da Colher de Pau e que muito bem fará ao Vosso orçamento.
Todos os dias temos que comer, portanto nesta área vamos sempre gastar - os produtos necessários são aqueles que não podemos de modo algum prescíndir.
Temos um leque enorme de oferta e consumir uma refeição equilibrada, pode custar pouco, principalmente se comprar-mos nas grandes superfícies.
Eu sei que muitos gostariam de preservar as mercearias de bairro, mas os preços não são convidativos, pelo menos diariamente.
É pena!
Os tempos são de crise e temos que gerir um orçamento, cada dia mais pequeno e fazer frente a tantas solicitações.
Temos que saltitar entre estas grandes superfícies pois em cada uma encontramos preços variados.
Contudo tente usar o carro o menos possível, pois este consome grande parte do seu orçamento em combustível, para não falar da parte mecânica e já agora ambiental.
Estabeleça prioridades e necessidades, organize a sua vida de uma maneira sustentável.
Pode fazer compras uma vez por semana. (Se tiver uma máquina de fazer pão não necessita de o comprar diariamente)
Por vezes é mesmo uma questão de organização e programação.
Se todos os meses conseguir-mos deixar um pouco de lado, mesmo sendo muito pouco - imagine €5 no final do ano dá €60.
Vale a pena tentar e eu sei o quão difícil é, isso posso-vos garantir.
Poupem e consumam o estritamente necessário, há que saber sobreviver a esta malfadada crise.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Presentes de Natal




A nossa árvore de natal feita no dia 1 de Dezembro.


O Natal aproxima-se a passos largos, estamos em contagem decrescente e como o tempo passa a correr, há que preparar tudo o mais depressa possível.
Como todos sabemos os tempos são de crise, ouvimos isto diariamente, lemos e sentimos na pele esta situação mundial.
Mas também sabemos que é nestas alturas que surgem as melhores ideias e às vezes com tão pouco.
Também todos sabemos que vivemos numa sociedade desenfreadamente consumista, quiçá com a crise aprendamos a poupar e a comprar o estritamente necessário (se bem que uma vez ou outra se extravase um pouco - há quem diga que faz bem ao ego - não concordo mas é possível que para alguns saía mais barato que umas consultas de psicanálise ou psiquiatria e essas coisas assim...).
Se há crise e temos que ser menos consumistas porque não oferecer bens de consumo em vez de futilidades que por vezes nem sabemos o que fazer com elas. Ao menos são consumíveis, não ocupam muito espaço.
Muito tenho lido sobre este assunto, nos blogs que diariamente consulto, em pesquisas pela net, etc.
Sugiro-vos algumas alternativas:
Este blog dá uma ideia fantástica e fácil de fazer, - http://eutbseidisso.blogspot.com/2010/11/cookies-no-pote.html - podem decorar a gosto e inclusive podem usar a etiqueta que é apresentada
Outros há como este que eu adoro http://economiacadecasa.blogspot.com/ - que já vem dando dicas há alguns anos - Sou-vos sincera que adoptei uma série de ideias para presentear família e amigos. (e para mim mesma) - que simpática esta dica do açúcar com alfazema ou baunilha e o sal e azeites aromatizados. (algumas destas ideias já funcionavam cá em casa)
Umas compotas feitas por nós e umas bolachas, haverá melhor presente?
Pois neste Natal só as crianças terão brinquedos que se tivesse tido mais imaginação também os faria, embora ache que eles preferem aqueles que passam na televisão, o tempo todo, é assim que esta sociedade vai criando mais consumistas.
Aqui por casa os meus vão ajudando a preparar alguns destes presentes e digo-vos 2 deles ainda acreditam no Pai Natal. O que me obriga a dizer que no Natal todos esperam um miminho por isso estamos a preparar presentes nossos para oferecer aos familiares e amigos.
Porque a resposta imediata foi - "Mas o Pai Natal traz os presentes, mammy!" - pois...
Cá em casa o Natal começa cedo, isto é, começo a ver o que vou oferecer com alguma distância da data, se bem que os embrulhos só surjam na véspera o que me dificulta um pouco, mas a magia tem que predurar enquanto conseguir.
Acho que este será o último ano, contudo ainda tenho uma réstia de esperança...
Mas as crianças crescem e até a "Fada dos Dentes" começa a ser posta em causa. Não estou a gostar nada disto...
A minha querida amiga Beth bem me tinha avisado que eles crescem, mas eu esperava que não fosse tão rápido.
Vou aproveitar enquanto dura.
Façam os vossos presentes, assim vão oferecer algo único com um cunho tão pessoal que não há como não gostar.
Inventem, criem e ofereçam.
Mãos à obra, o Natal está a chegar!


O Calendário do Advento feito pela Avó Gi - há vários anos que é usado - os miúdos adoram.
Encho de guloseimas ou bolachinhas  e as crianças vão tirando todos os dias desde o 1 de Dezembro até à véspera do Natal.